no

Todo ovo de galinha pode ser chocado e gerar um pintinho?

Muita gente já tentou chocar um ovo de galinha comprado no mercado. Mas será que isso é possível?

Ovo de galinha
Foto: Pixabay

Algumas pessoas que comem ovos costumam ficar um pouco receosas com a suposta possibilidade de quebrar um ovo de galinha e encontrar um animal minúsculo dentro dele. Talvez você nunca tenha vivenciado algo do tipo, mas será que isso é realmente possível?

Muitos de nós já tentamos, pelo menos uma vez, chocar um ovo de galinha comprado, mantendo-o aquecido. No entanto, o que muita gente ainda não sabe é que quase todos os ovos comercializados não são fertilizados! Na prática, isso significa que não há, de fato, nenhum embrião minúsculo de um pintinho se desenvolvendo dentro do ovo.

Ficou com dúvidas? Calma que eu vou explicar melhor essa questão ao longo desse artigo!

Foto: Pixabay

A “receita biológica” de um ovo de galinha

A vida de um embrião de galinha começa dentro da ave antes mesmo de o ovo ser posto. Ovos de vários tamanhos e níveis de maturidade estão presentes no ovário da galinha, mas apenas o ovário esquerdo das galinhas (e de todas as outras aves fêmeas) é funcional.

Um óvulo é sempre liberado do ovário esquerdo na esperança de que o espermatozoide de um galo o fertilize. Isso ocorre cerca de 24 horas antes de a galinha botar os ovos. Se o esperma do galo estiver presente, o esperma se funde com a célula da gema da galinha para formar um embrião. A casca dura se desenvolve sobre a gema antes da postura do ovo.

Vale destacar que as galinhas não sabem se o ovo está fertilizado e, portanto, devem passar pelo processo de postura de qualquer maneira. Por conta disso, uma galinha sempre vai por ovos na esperança de chocá-los.

As galinhas são capazes de pôr ovos sem o envolvimento de um galo. Tudo o que elas precisam são os nutrientes corretos, ou seja, cálcio e vitamina D3 e as condições físicas adequadas. A luz estimula o processo de postura, sendo que algumas fazendas até usam iluminação artificial para regular o processo durante os meses de inverno.

Mesmo que não haja diferença no teor de nutrientes ou sabor entre um ovo fertilizado e um não fertilizado, a maioria das fazendas comerciais prefere ter apenas galinhas em suas granjas. Isso ocorre porque um único galo pode acasalar com 10 ou mais galinhas e, se os cuidados adequados não forem tomados, o número do grupo pode sair do controle muito rapidamente.

Foto: Pixabay

O papel da reprodução seletiva

Na natureza, as galinhas põem ovos até formarem uma ninhada, ou seja, um grupo de ovos chocados juntos. O tamanho da ninhada difere de ave para ave, mas as galinhas geralmente têm um tamanho de ninhada em torno de uma dúzia de ovos. As galinhas  também param de liberar ovos nos meses de inverno mais rigorosos, pois é difícil criar filhotes quando há escassez de comida, sem falar que as horas mais curtas do dia também prejudicam a produção de ovos.

Na prática, esses fatores reduzem a produção total de ovos das galinhas selvagens, uma vez que elas só botam ovos em abundância na primavera. Para se ter uma ideia, a variedade Galo-banquiva (Red junglefowl) põe de 10 a 15 ovos por ano. Por outro lado, as galinhas criadas especialmente para a produção de ovos geram cerca de 300 ovos não fertilizados todos os anos! No entanto, isso só é possível graças a reprodução seletiva.

Por meio da reprodução seletiva, os humanos selecionam apenas os indivíduos de uma espécie que possuem características vantajosas para o acasalamento, o que reforça essas características na prole. Isso ocorre devido a mutações genéticas que surgem por meio da pressão de seleção induzida por humanos.

As galinhas poedeiras foram modificadas ao longo do tempo para garantir a consistência do rendimento e a máxima produção de ovos. Os frangos de corte, por outro lado, foram projetados para o consumo de carne e, portanto, são muito mais carnudos e fartos. Em comparação com suas “primas”, as galinhas poedeiras têm pouca carne e concentram toda a sua energia na produção de um ovo a cada dia.

Vale destacar que discrepância entre o número de ovos produzidos por galinhas selvagens e galinhas de criação também ocorre porque os trabalhadores das granjas coletam ovos todos os dias. Na prática, isso evita que a galinha forme uma ninhada e, consequentemente, faz com que ela continue botando um ovo diariamente.

Ovo de galinha
Foto: Pixabay

Como saber se o seu ovo de galinha é fertilizado

Se você ainda tem curiosidade em saber se o ovo que você acabou de quebrar está fertilizado ou não, aqui está como você pode saber: basicamente, um ovo fertilizado de 24 horas terá uma pequena mancha branca na gema amarela. Além disso, conforme o filhote (se houver) se desenvolver, você notará a formação de vasos sanguíneos mais salientes do que o normal.

Dito isso, é importante deixar claro que sangue não indica necessariamente a existência de um embrião. Uma mancha de sangue dentro de um ovo pode ocorrer devido a uma ruptura de um vaso sanguíneo. Isso pode acontecer em qualquer ponto do sistema reprodutivo como resultado de uma deficiência de vitamina A.

Agora, mesmo se considerarmos a chance de um ovo fertilizado ser vendido para consumo acidentalmente, não há possibilidade de uma pessoa consumir um feto em desenvolvimento, pois todos os ovos vendidos comercialmente são refrigerados antes da venda, o que interrompe o desenvolvimento do embrião, se houver.

Leia Também: Por que bater em um controle remoto defeituoso pode fazê-lo funcionar?
Leia Também: O que é goma xantana e por que ela está presente em vários produtos?

Além disso, as medidas de segurança alimentar ditam a inspeção do interior dos ovos destinados à venda. Isso pode ser feito através de um processo no qual uma luz brilhante é mantida contra a casca. No geral, esse processo destaca quaisquer anomalias, incluindo pintinhos em desenvolvimento.

Interessante, não é mesmo? Se gostou desse post, não se esqueça de compartilhá-lo! 😉

Esse post merece um GOSTEI ou NÃO GOSTEI?

Por que minhas plantas domésticas sempre morrem?

Músico de sessão

O que faz um músico de sessão?