no

Por que não usamos areias de praias e desertos em construções?

Embora nosso planeta esteja repleto de areia, o problema está no tipo específico de areia que usamos.

Areias da praia
Foto: Pixabay

Por mais trivial que possa parecer, a areia é um ingrediente importantíssimo em nossas vidas. Ela é a principal matéria-prima a partir da qual as cidades modernas são edificadas. O concreto usado para construir shoppings, escritórios e blocos de apartamentos, junto com o asfalto que usamos para construir nossas estradas, são basicamente areias e cascalhos colados.

Se você trabalha com construção civil ou simplesmente decidiu reformar a sua casa recentemente, já deve ter notado que o preço da areia tem aumentado nos últimos anos. No entanto, isso parece ser contraintuitivo, afinal de contas, nosso planeta está coberto de areia, não é mesmo?

Enormes desertos do Saara ao Arizona têm dunas ondulantes desse material rochoso. As praias costeiras de todo o mundo também são revestidas de areia. Então, por que não usamos areias de praias e desertos em construções?

Ao longo desse artigo, você vai descobrir que nem todas as areias são iguais, de modo que a construção civil acaba se tornando dependente de areias muito específicas.

Areias em construção
Foto: Pixabay

A importância de conhecer os diferentes tipos de areias

As areias podem ser classificadas em três tipos com base no tamanho dos grãos: grossa, média e fina. A determinação dessas frações é importante, pois afetam as características de engenharia e o desempenho das areias como camadas de pavimento em termos de plasticidade, resistência e capacidade de suporte.

Em resumo, a forma das partículas de areia afeta sua densidade e estabilidade, além do comportamento geral da aplicação em questão. Partículas arredondadas ou lisas demais oferecem menos resistência ao rearranjo do que partículas angulares ou alongadas com superfícies ásperas, por exemplo.

Foto: Pixabay

A razão pela qual areias de praias e desertos não servem para construções

As areias do mar e do deserto raramente satisfazem os requisitos das especificações tradicionais para uso como material de construção, especialmente em seu estado não tratado. A grande maioria da areia que coletamos vai para a fabricação de concreto e, para esse propósito, os grãos de areia do deserto têm o formato errado. Corroídos pelo vento e não pela água, eles são lisos e arredondados demais para se prenderem e formarem um concreto estável.

As areias do deserto também possuem uma estrutura aberta que promove pouca interligação entre os grãos. Se essa areia for mantida seca, essas “pontes de ligação” fornecem uma resistência considerável ao rolamento. Por outro lado, se a areia ficar molhada, as “pontes” amolecem e, quando sobrecarregadas, elas se quebram e desmoronam.

A areia do mar também tende a ser muito fina e arredondada. Além disso, na água do mar, há uma abundância de sal, um agente químico que causa a corrosão do aço e do ferro; ou seja, uma estrutura construída com esse material não seria nada sustentável.

Vale mencionar que a areia do mar não tem alta resistência à compressão, o que também inviabilizaria seu uso em atividades de construção. Além disso, o sal da areia do mar tende a absorver a umidade da atmosfera, trazendo umidade.

Foto: Pixabay

Uma palavra final

Embora pareça algo absurdo, o mundo enfrenta uma escassez de areia. A areia de que precisamos é encontrada somente nos leitos, margens e várzeas de rios, bem como em lagos e alguns poucos corpos d’água específicos. A demanda por esse material é tão intensa que, em todo o mundo, leitos de rios estão sendo desnudados e florestas devastadas para obter esses grãos preciosos.

De certo modo, a questão da areia surpreende muitos, mas não deveria. Não podemos extrair 50 bilhões de toneladas por ano de qualquer material sem causar impactos massivos no planeta e, portanto, na vida das pessoas.

O principal motor dessa crise é o desenvolvimento massivo da urbanização. A cada ano, há mais e mais pessoas no planeta, com um número cada vez maior delas trocando o campo pelas cidades, especialmente nos países em desenvolvimento. Consequentemente, construir edifícios para abrigar todas essas pessoas, juntamente com as estradas para uni-los, requer quantidades enormes de areia.

Leia Também: Quantas pessoas são necessárias para fazer um filme?
Leia Também: Como surgiu a pólvora?

Para piorar ainda mais a situação, ninguém sabe exatamente quanta areia está sendo tirada da Terra, nem onde e nem em que condições. No fim das contas, a única coisa que sabemos é que quanto mais gente houver no mundo, mais areia precisaremos.

A construção civil exige um tipo muito específico de areia, não é mesmo? Se você gostou deste post, não se esqueça de compartilhá-lo! 😉

Esse post merece um GOSTEI ou NÃO GOSTEI?

O que faz um representante de vendas?

Por que os pavões mostram penas

Por que os pavões abrem as penas?