no ,

É Possível Mudar O Nosso Tipo Sanguíneo?

É Possível Mudar O Nosso Tipo Sanguíneo?

Vivemos em um mundo onde existem mais de 7 bilhões de pessoas, podemos imaginar que cada uma delas possuem características únicas e ainda assim podem ser parecidas em alguns aspectos.  Por exemplo, o nosso tipo sanguíneo pode ser o mesmo que o de outra pessoa, seja ela da nossa família ou não.

Por falar em tipo sanguíneo, você já parou para se perguntar se é possível mudar ele? Bom, essa é uma dúvida que muitas pessoas possuem e nem todas encontram uma resposta convincente. Caso você possua essa dúvida, pode ficar tranquilo, pois temos a resposta e vamos te contar agora mesmo.

Tipos Sanguíneos

Como bem sabemos, existem 4 tipos sanguíneos, sendo eles: A, B, AB e O, além disso, eles se subdividem em Rh positivo e Rh negativo, assim podendo apresentar 8 variações. Além disso tudo, atualmente sabemos que cada tipo sanguíneo carrega anticorpos contra antígenos do outro tipo, ou seja, antígenos que o organismo do indivíduo não possui e esse fator é extremamente importante na hora da doação e transfusão de sangue.

Além desses tipos sanguíneos que mencionamos acima, existe um outro que é extremamente raro. Esse tipo sanguíneo é conhecido como “sangue dourado” (falaremos mais sobre ele em um outro post) e ele só foi identificado em apenas 43 pessoas do mundo.

É Possível Mudar O Nosso Tipo Sanguíneo?

Afinal de Contas, É Possível Mudar o Tipo Sanguíneo?

Em 2007, um grupo de cientistas da Universidade da Colúmbia Britânica descobriram uma forma de transformar todos os tipos sanguíneos em O, o famoso doador universal. Isso se tornou possível porque os cientistas  utilizaram uma enzima que retira o excesso de açúcar dos sangues de tipo A e B e deixa eles mais parecidos com o sangue do tipo O.

A enzima utilizada no processo foi criada através de uma técnica chamada de evolução dirigida. Nesse processo onde foram usadas bactérias com mutações específicas inseridas em seus DNA, assim deixando a enzima ainda mais poderosa.

A técnica é considerada revolucionária, já que até onde tínhamos conhecimento, era impossível mudar o nosso tipo sanguíneo, mas ela ainda não é perfeita. Isso porque o “novo sangue” pode conter resquícios dos açúcares dos outros tipos sanguíneos e assim, podem provocar reações imunológicas nos pacientes.

No ano passado, um estudo publicado na Nature Microbiology por um outro grupo de cientistas da mesma universidade apontou que a técnica estava sendo aprimorada. A nova técnica estava utilizando uma bactéria encontrada dentro do próprio organismo humano.

É Possível Mudar O Nosso Tipo Sanguíneo?

No estudo, um dos cientistas fala:

Ao rastrear uma biblioteca de enzimas do microbioma intestinal usando substratos fluorogênicos que imitam os carboidratos do antígeno sanguíneo, identificamos um conjunto de enzimas expressas por uma bactéria particular, a Flavonifractor plautii, que são capazes de clivar o antígeno A de maneira muito eficiente.

Com o estudo avançando, provavelmente, será possível realizar a troca de tipo sanguíneo muito em breve e isso deve ajudar principalmente na questão da falta de sangue para transfusão de alguns pacientes.

Interessante, não acha? Não esquece de compartilhar esse post!

Esse post merece um GOSTEI ou NÃO GOSTEI?

Latinha de Pepsi

12 curiosidades refrescantes sobre a Pepsi

Você Sabe Por Que Soluçamos?

Você Sabe Por Que Soluçamos?